NOTÍCIAS
Governo oficializa as regras do Telebralho
Por: Da Redação da Abranet - 28/03/2022

Começaram a valer, nesta segunda-feira (28), as regras que regulamentam o regime de teletrabalho no Brasil. A medida provisória (MP) com as mudanças foi anunciada na última sexta-feira (25) pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) e pelo ministro do Trabalho, Onyx Lorenzoni, mas publicada somente nesta segunda no Diário Oficial da União. A MP considera como trabalho ou teletrabalho remoto a prestação de serviço fora das dependências do empregador com o uso de tecnologias que permitem comunicação, como computadores e celulares.

Ainda será teletrabalho quando o trabalhador tiver que ir à empresa para alguma atividade específica que exija presença física. Mas não será considerada no modelo remoto quando o serviço configurar trabalho externo. Entre as mudanças, fica autorizada adoção do regime remoto para estagiários e aprendizes, assim como ao trabalhador admitido no Brasil, mas que escolher realizar a função fora do território nacional. Nesse caso, a legislação aplicada será a brasileira, onde o contrato foi firmado, com exceção de acordo entre as partes.

Quando houver ordem para o retorno ao trabalho presencial, a empresa não será responsável pelas despesas de retorno do trabalhador, quando ele optar por prestar o serviço fora da cidade da empresa contratante. As empresas terão, ainda, que dar prioridade no preenchimento de vagas que permitem o trabalho remoto a pessoas com deficiência e aos empregados e empregadas com filhos ou criança sob guarda judicial até quatro anos de idade.

Segundo o governo o regime de teletrabalho ou trabalho remoto não se confunde e nem se equipara à ocupação de operador de telemarketing ou de teleatendimento. Também fica permitido ao contratado no regime de teletrabalho a prestação de serviço por jornada ou por produção ou tarefa. Nesse caso, o trabalhador não será assegurado pela definição de jornada de trabalho prevista na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

As mudanças determinam, ainda, que sejam garantidos tempos de repouso quando houve acordo individual entre empregado e trabalhador sobre os horários de serviço e o meio de comunicação entre eles. Apesar de já estarem válidas no país, as regras feitas pela MP precisam ser votadas pelo Congresso Nacional em até 120 dias.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:
21/06/2022
28/03/2022
17/03/2022
16/03/2022
14/02/2022
10/02/2022
19/01/2022
17/12/2021
16/12/2021
04/08/2021


Copyright © 2014 - 2022         Abranet - Associação Brasileira de Internet         Produzido e gerenciado por Editora Convergência Digital